HomeBebêsAmamentaçãoDicas para um desmame gentil
desmame

Dicas para um desmame gentil

Na matéria de hoje vamos falar sobre o desmame, a etapa final de um processo que envolveu amor e entrega. Ele faz parte da amamentação e deve ser planejado com carinho, como um processo natural de crescimento e amadurecimento do bebê. Sendo assim, não deve ser feito de forma forçada ou abrupta. Antes de falarmos sobre como a mãe pode conduzir um desmame gentil é importante lembrar que o tempo mínimo de amamentação recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) é de dois anos ou mais.

 

Desmame gentil: respeite o tempo da criança

A primeira recomendação é aguardar que o próprio bebê dê sinais que não deseja mais ser amamentado e que está pronto para o desmame:

  • Idade maior que 1 ano (aguardar até os 2 anos é ideal)
  • Demonstrar menos interesse nas mamadas
  • Aceitar variedade de alimentos
  • Aceitar outras formas de consolo, como colo e abraços
  • Aceitar não ser amamentada em certas ocasiões e locais
  • Já dormir sem mamar
  • Não demonstra grande irritação quando o peito é negado
  • Ter uma rotina de outras atividades com a mãe, como brincar e dormir sem o peito

O desmame natural ou conduzido de forma gentil é a melhor forma de realizar uma transição tranquila e sem traumas para a mãe e para o bebê. Um desmame abrupto pode prejudicar seriamente a saúde da mulher causando ingurgitamento mamário, bloqueio de ducto lactífero e mastite, além de sintomas emocionais, como depressão. Já o bebê pode se sentir rejeitado pela mãe e ter o sono e alimentação prejudicados, além de apresentar rebeldia extrema, mudando o seu comportamento na escola e em casa.

desmame

Como iniciar o desmame gentil?

Se não houver como aguardar o desmame natural, quando a criança perde o interesse pelos seios, a mãe deve conduzir o processo de forma gradual e nunca de forma abrupta, do dia para a noite. O desmame gentil pode demorar alguns meses, até o que bebê não solicite mais o peito.

Uma dica para iniciar o processo é o método “não ofereça, não recuse”. É a primeira impressão que a mãe terá sobre o grau de dificuldade desse desmame, pois em cada família é diferente. Há crianças que são desmamadas em poucos dias ou semanas, e outras que demoram meses. O método é simples: continue amamentando quando o bebê solicitar, mas não ofereça. Deixe que a amamentação se torne uma iniciativa apenas da criança.

Outro passo importante é promover uma distração funcional. Volte a atenção do bebê para outras atividades nos momentos em que ele costuma ser amamentado. Nos primeiros dias ele pode reclamar, como logo ao acordar, mas pode vir a gostar das novas distrações. Elas podem ser qualquer atividade que se adapte à rotina da família: café da manhã na mesa, assistir a um desenho, brincar com algum boneco, cantar uma música todo dia, etc. Se o bebê reclamar muito e chorar bastante, lembre-se que é um processo de desmame gentil e amamente. No próximo dia, você continua tentando. Sabemos que essa dica pode ser mais difícil de ser conduzida com os bebês que mamam para dormir, por exemplo. Nesses casos, a mãe pode prolongar a rotina de sono, com um banho mais longo ou mais histórias antes de dormir.

Outra técnica é a do “atraso”. Não negue o peito, mas adie. Um exemplo: se a criança pedir para mamar e tiver brinquedos para guardar, oriente para que ele organize os brinquedos e que depois ele pode mamar. Se ele continuar solicitando a amamentação, não negue e amamente. Isso irá reforçar o elo de confiança entre vocês. Há crianças que, com este método, logo se distraem e esquecem que queriam mamar. Essa é uma forma interessante para diminuir o número de mamadas diurnas. Você pode estipular os momentos de amamentação, retirando aquelas mamadas rápidas que são apenas costume. Exemplo: se o bebê mama sempre antes de ir para escola, diga que vocês estão atrasados e que ele pode mamar quando voltar. Ou se a mamada costuma acontecer antes do almoço, explique que ele só vai mamar novamente na hora da soneca. Adapte conforme a rotina da criança.

Os bebês que comem bem podem ser beneficiados pela substituição das mamadas por refeições. Ao invés do leite materno ao acordar, por exemplo, ofereça uma salada de frutas. O desmame gentil envolve também mudanças físicas na casa. Se você mantém uma poltrona de amamentação, por exemplo, é interessante retirá-la do local habitual. Outra dica é voltar a usar suas roupas que dificultam a amamentação. É fácil para a mãe se acostumar a vestir blusas que são facilitem o acesso aos seios, e fica difícil negar nestes casos, principalmente se estiver em passeios na rua. Com blusas mais fechadas, ou vestidos, você pode explicar gentilmente para o bebê que não dá para dar de mamar porque a roupa da mamãe “não deixa”.

Seguindo essas dicas, o processo de desmame do seu bebê será feito com respeito e amor, e vocês estarão prontos para iniciar uma nova fase.

 

*Com informações do livro “Gentle Baby Care” (Elizabeth Pantley), do Grupo Virtual de Amamentação e da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

 

 

Não quer perder nenhuma de nossas dicas??
Siga todas as nossas redes sociais

FacebookInstagram (@ficargravida) e Pinterest.

 

 

Leia mais

Especial Aleitamento Materno: mitos e verdades da amamentação

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Ficar Grávida é um blog com conteúdo voltado para mulheres que estão grávidas, já são mamães e também para as que querem engravidar. Aqui, nós conversamos sobre gravidez, filhos, saúde, comportamento, decoração, histórias inspiradoras e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@ficargravida.com.br

Sem comentários

Deixe um comentário