HomeBebêsConvivência entre animais e bebês é benéfica à saúde
Animais e bebês podem conviver com benefícios, diz pesquisa

Convivência entre animais e bebês é benéfica à saúde

Quase sempre ouvimos coisas negativas a respeito da permanência de animais e bebês no mesmo ambiente, o que pode preocupar as mamães que possuem um cachorro, gatinho ou qualquer pet em casa. Se você está grávida ou tem um bebê pequeno em casa, convivendo com seu animalzinho de estimação, não se preocupe, e nada de dispensar o bichinho: ter um animal de estimação não só garante companhia e diversão em todas as horas como também ajuda as crianças a crescerem mais fortes e saudáveis. A conclusão é de pesquisadores da Universidade de Alberta, no Canadá, que avaliaram o efeito dessa relação na composição das bactérias do intestino – elas exercem um importante papel no reforço do nosso sistema imunológico.

Estudos mostram que animais e bebês são dupla pra lá de benéfica

Animais e bebês podem conviver com benefícios, diz pesquisa

Animais e bebês podem conviver com benefícios, diz pesquisa

Para iniciar o estudo, os pesquisadores canadenses entrevistaram mais de 700 mães de bebês. Com base nos questionários respondidos por elas, os especialistas registraram que 46% dos pequenos conviveram com pelo menos um pet (a maioria cachorros) dos últimos seis meses de gestação ao primeiro trimestre que sucedeu o nascimento.

Depois, ao analisar o resultado de exames realizados nas crianças, os experts notaram que esse subgrupo apresentava, em média, duas vezes mais Ruminococcus e Oscillospira no intestino em comparação à turma que não tinha um animalzinho. E não se assuste com os palavrões: há evidências de que essas bactérias estão relacionadas, respectivamente, a uma chance maior de os bebês passarem longe de alergias e ganharem muito peso.

Não para por aí. Esses recém-nascidos estariam mais protegidos até mesmo com relação à contaminação por estreptococos do grupo B, uma bactéria que pode passar da vagina para o bebê na hora do parto, levando à pneumonia, sepse e meningite. Vale lembrar que, se esse micro-organismo é identificado, as gestantes são incentivadas a tomar antibiótico para combatê-lo e, assim, ter um parto seguro.

Na pesquisa, fatores como ocorrência de cesárea, utilização de antibióticos e amamentação limitada foram considerados, já que poderiam interferir nos resultados. Apesar disso, novos estudos devem ser realizados para compreender melhor por que a amizade entre animais e bebês sempre se mostra tão positiva.

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Ficar Grávida é um blog com conteúdo voltado para mulheres que estão grávidas, já são mamães e também para as que querem engravidar. Aqui, nós conversamos sobre gravidez, filhos, saúde, comportamento, decoração, histórias inspiradoras e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@ficargravida.com.br

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.