HomeBebêsAPLV e Intolerância à Lactose, entenda a diferença
aplv e Intolerância à Lactose

APLV e Intolerância à Lactose, entenda a diferença

Muitos erroneamente acreditam que a Intolerância à Lactose e a Alergia à Proteína do Leite de Vaca, mais conhecida como APLV, são a mesma coisa. E essa confusão acaba resultando em constrangimento para os pais e problemas para os pequenos que ainda não sabem diferenciar os alimentos que podem ou não consumir. Para ajudar as mães que sofrem diariamente com esta confusão, decidimos dedicar um post exclusivamente para explicar as diferenças entre APLV e Intolerância à Lactose.

aplv e Intolerância à Lactose

Apesar de ambas estarem associadas ao leite, a APLV e Intolerância à Lactose são doenças bem diferentes!

 

Conheça a diferença entre APLV e Intolerância à Lactose

 

Primeiro vamos entender o que é cada um!

Como o próprio nome já diz, a Alergia à Proteína do Leite de Vaca, é uma reação exagerada do organismo contra as proteínas existentes no leite de vaca, ou seja, o corpo da criança produz substâncias para destruí-las. A APLV atinge principalmente bebês e crianças menores de 3 anos, com raros casos em adultos.

Já a Intolerância à Lactose é causada pela deficiência do corpo em produzir uma enzima chamada lactase, que serve para digerir o açúcar do leite, a lactose. A pessoa pode se tornar intolerante em qualquer momento da vida.

 

Sintomas

O principal motivo da confusão entre APLV e Intolerância à Lactose, além de ambas estarem ligadas ao leite, é o compartilhamento de alguns sintomas. Dentre eles temos: cólicas, gases, distensão abdominal, diarreia, inchaço e distúrbios gastrointestinais.

Enquanto a intolerância à lactose apresenta apenas sintomas intestinais, a APLV pode apresentar sintomas digestivos, cutâneos, respiratórios, reação anafilática, baixo peso e/ou crescimento.

 

Tratamento

A exclusão total do leite de vaca do cardápio da criança se faz necessário para tratar a APLV, por isso, é muito importante que a mãe fique atenta aos rótulos de tudo que oferecer à criança. Elementos como caseína, caseinato, proteínas do soro e soro do leite indicam a presença de leite na fórmula do produto. Neste caso, a substituição por leites vegetais se faz necessária. O acompanhamento de perto por uma nutricionista, bem como, uma alergista, são essenciais para garantir a boa saúde do pequeno. A boa notícia é que a alergia à proteína do leite de vaca geralmente é transitória e, depois de um tempo de exclusão total do alimento, ele pode voltar a ser consumido, aos poucos, sem maiores problemas.

A intolerância à lactose geralmente não necessita de exclusão total do leite, hoje em dia existem no mercado diversos produtos sem lactose que substituem tranquilamente o leite normal. Há também medicamentos com lactase que a pessoa pode ingerir antes de se alimentar, que costumam ajudar. Caso o grau de intolerância seja muito alto, é feita a exclusão total da dieta e é preciso ficar atento à sua volta, pois existem crianças que apresentam os sintomas apenas ao sentir o cheiro do leite.

 

É importante, em caso de suspeita, que você leve o pequeno imediatamente ao médico. Por meio de exames específicos ele encaminhará o bebê ao especialista, que realizará o tratamento adequado para o seu caso.

 

 

Não quer perder nenhuma de nossas dicas??
Siga todas as nossas redes sociais

FacebookInstagram (@ficargravida) e Pinterest.

 

 

Leia mais

– Qual o melhor leite para o bebê? Especialista dá a dica!

– A importância da “vitamina S”

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Ficar Grávida é um blog com conteúdo voltado para mulheres que estão grávidas, já são mamães e também para as que querem engravidar. Aqui, nós conversamos sobre gravidez, filhos, saúde, comportamento, decoração, histórias inspiradoras e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@ficargravida.com.br

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.