HomeBebêsTeste da bochechinha para recém-nascidos: quando ele é útil?
teste da bochechinha

Teste da bochechinha para recém-nascidos: quando ele é útil?

Um dos mais novos integrantes da triagem neonatal, o teste da bochechinha vai atrás de quase 300 condições genéticas raras — e depende de uma amostra de saliva colhida no interior da bochecha do bebê.

O exame faz parte da bateria de testes que os bebês fazem ainda no hospital, mas ainda soa desconhecido para muitos papais. Para ajudá-los, confira matéria completa sobre o teste da bochechinha!

teste da bochechinha

O resumo do teste da bochechinha

Já disponível no Brasil, ele se vale de técnicas de sequenciamento de última geração, que permitem analisar não apenas os genes, mas pequenos fragmentos do DNA. Dessa forma, acusa alterações com grande probabilidade de provocar doenças.

Como é feito: uma amostra de saliva — que fornece o DNA — é colhida com uma espécie de cotonete na parte de dentro da bochecha.

Onde é disponibilizado: em centros de referência de doenças raras e para venda direta. Não é coberto pela maioria dos planos.

O que apura: são 287 distúrbios, entre doenças raras, imunológicas, hematológicas e alguns tipos de câncer.

É para toda criança: a princípio, sim, mas alguns especialistas indicam só em caso de suspeita ou histórico familiar de risco.

Os prós e contras do teste da bochechinha

A chegada do novo exame suscita também alguns dilemas. De acordo com pediatras consultados, ainda se desconhece a real vantagem de descobrir mais cedo certas desordens genéticas e metabólicas.

Outro ponto de discussão é que o resultado de um exame poderia afetar, por exemplo, a forma como os pais cuidam da criança ou até mesmo servir de motivo para aumentar a mensalidade do convênio antes que ela ficasse doente de fato. 

Seria diferente de outros exames obrigatórios hoje, como os da triagem neonatal, que captam pistas decisivas de que há um problema em curso, ainda que silencioso.

Assim, apesar de ser mais abrangente, hoje o teste da bochechinha não deve substituir o do pezinho, mas complementá-lo. Até porque, o teste do pezinho visualiza condições que não são determinadas somente por alterações em genes, caso do hipotireoidismo congênito. 

teste da bochechinha

Não quer perder nenhuma de nossas dicas??

Siga todas as nossas redes sociais

Facebook, Instagram (@ficargravida) e Pinterest.

 

Leia mais:

20 nomes curtos de bebês que serão tendência em 2020

O que é parto ecológico?!

Gravidez e melasma: conheça os principais cuidados para evitá-lo

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Ficar Grávida é um blog com conteúdo voltado para mulheres que estão grávidas, já são mamães e também para as que querem engravidar. Aqui, nós conversamos sobre gravidez, filhos, saúde, comportamento, decoração, histórias inspiradoras e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@ficargravida.com.br

Sem comentários

Deixe um comentário