HomeComportamentoAnsiedade infantil: Como lidar? Psicóloga dá dicas!
ansiedade infantil

Ansiedade infantil: Como lidar? Psicóloga dá dicas!

A ansiedade é uma emoção normal, que aparece quando estamos preocupados, enfrentando algum problema ou diante de uma situação difícil. Todos nós experimentamos a ansiedade em determinados momentos e não é diferente com as crianças. A ansiedade infantil é uma realidade cada vez mais frequente.

Vale lembrar que a ansiedade é útil às vezes, nos protegendo e nos preparando para encarar certos desafios. No caso das crianças,  que estão sempre expostas a novidades, aprendizados e situações diferentes, a ansiedade infantil faz parte do seu processo de aprendizagem, adaptação e crescimento.

ansiedade infantil

O que pode contribuir para o aparecimento da ansiedade infantil?

A vida agitada, cheia de tarefas e horários, além da tecnologia disponível o tempo todo desde que a criança nasce, contribuem para o aparecimento da ansiedade infantil.

As crianças têm tudo ao seu alcance, não precisam esperar para nada, podem ver um desenho atrás do outro, sem ter que esperar o dia seguinte para o próximo episódio e sem ter que esperar o desenho recomeçar enquanto passam as propagandas.

Assim, elas não aprendem a desenvolver a paciência, acham que podem ter tudo no momento que querem e, como na vida real isso não acontece, a ansiedade aparece.

Outras situações podem contribuir para o aumento da ansiedade como mudanças de casa ou escola, separação dos pais, morte de algum familiar ou mesmo de um bichinho de estimação, acidentes, maus tratos, uma educação muito crítica, com muitas cobranças e sem elogios, o nascimento de um irmão, entre outras coisas, que modificam o que já era conhecido pela criança e também a estrutura familiar.

Quando a ansiedade infantil se torna um problema?

A ansiedade que aparece nas questões do dia a dia é normal e costuma desaparecer sozinha, conforme a situação é enfrentada e isso não deixa marcas nem traz nenhum prejuízo para a criança.

ansiedade infantil

Porém quando a ansiedade tem um impacto significativo no cotidiano, atrapalhando a rotina da criança e trazendo conseqüências para o desenvolvimento, ela pode se tornar um problema e é preciso entender o que está acontecendo.

Nesse momento é importante os pais ficarem atentos e perceberem se existem mudanças muito drásticas de comportamento. Quando a criança não relaxa nunca, se cobra muito, não consegue ficar sozinha, não quer fazer as suas atividades, tem pensamentos muito negativos, alterações repentinas de humor, sentimentos de desesperança, muita preocupação, medo ou tristeza, é hora de acender um sinal vermelho.

Também é preciso se preocupar se a criança não consegue se adaptar na escola, apresenta dificuldade para dormir, preocupações excessivas em relação a perigos que possam acometer os pais ou a si mesmo, apresenta baixa auto estima e se sente muito culpada e frustrada.

Nesses casos, a ansiedade pode ter se tornado um problema e passado de um sentimento normal, que nos movimenta, para um sentimento que paralisa, atrapalha a vida e é incompatível com o nível de desenvolvimento e com a fase pela qual a criança está passando.

Como ajudar as crianças?

É importante buscar ajuda e cuidar desses sentimentos, para que eles não aumentem, piorando o isolamento e a dificuldade de enfrentar situações novas e de se relacionar. Além disso, quando não tratada, a ansiedade infantil pode persistir durante a vida adulta, podendo evoluir para outras patologias, como a depressão.

Com o tratamento, a criança vai poder entender o que sente e qual é a relação desse sentimento com os seus pensamentos, desenvolver novas formas para lidar com a ansiedade, falar sobre os seus medos, desenvolver autoconfiança.

ansiedade infantil

Os pais também podem ajudar muito, pois a ansiedade deles tem influência direta sobre os filhos. Os pais precisam ser um ponto de referência e segurança, assim, manter a calma durante as situações em que os filhos estão ansiosos é fundamental.

Prestar atenção aos sentimentos, entender e dar nome àquilo que ele está sentindo, ao invés de criticar ou desvalorizar o sentimento também é importante. Elogiar, mostrar que você está perto, contar o que te deixa ansioso e o que você faz para se acalmar são atitudes essenciais para ajudar a criança a passar por esse momento.

 

Bruna Osorio – Psicóloga Clínica

CRP: 06/118617

Facebook: Bruna Osorio Psicologia

 

Não quer perder nenhuma de nossas dicas??
Siga todas as nossas redes sociais

FacebookInstagram (@ficargravida) e Pinterest.

 

Leia mais textos de comportamento:

Culpa materna é sentimento vivenciado por muitas mulheres

Bebês arco-íris renovam a esperança após uma perda

Sharenting e a exposição das crianças nas redes sociais

Pais helicópteros podem atrapalhar o desenvolvimento dos filhos

Alienação Parental: Crianças são as maiores prejudicadas

 

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Ficar Grávida é um blog com conteúdo voltado para mulheres que estão grávidas, já são mamães e também para as que querem engravidar. Aqui, nós conversamos sobre gravidez, filhos, saúde, comportamento, decoração, histórias inspiradoras e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@ficargravida.com.br

Sem comentários

Deixe um comentário