HomeComportamentoA importância do apoio das avós no puerpério
avós no puerpério

A importância do apoio das avós no puerpério

O puerpério tem início logo após o nascimento do bebê e dura cerca de seis semanas. Nesse período a mulher passa por diversas mudanças, tanto físicas quanto emocionais enquanto o seu corpo se recupera da gestação e do parto. Além disso, as recém mamães também precisam conhecer o seu bebê e aprender a lidar com ele. Precisam enfrentar a privação de sono, os medos e angústias dessa nova fase e também se deparar com um novo modo de estar no mundo. Por isso, precisamos falar sobre a importância de contar com uma rede de apoio nesta fase. Poder contar e se sentir confortável com a presença das avós no puerpério é um exemplo disso.

avós no puerpério

Avós no puerpério: a importância de contar com uma rede apoio no pós-parto.

Antigamente esse era um momento em que a mulher ficava rodeada de outras mulheres, como a parteira, as avós do bebê, irmãs, tias e recebia muito apoio, ajuda e tinha com quem dividir a dura tarefa de conhecer e cuidar do seu novo bebê. Hoje em dia, temos uma outra configuração social. Criou-se uma imagem de que as recém mamães precisam dar conta de tudo sozinhas, que pedir ajuda é sinal de fraqueza, ou incapacidade e assim, muitas mulheres acabam passando por esse momento de maneira muito solitária e sofrida, se sentindo culpadas por precisarem de ajuda e ao mesmo tempo, com medo de serem criticadas.

Entretanto, ter uma rede de apoio nesse momento é de extrema importância, pois a saúde física e emocional do bebê depende dos cuidados que esse recebe, logo, uma mãe saudável, que não esteja sobrecarregada com os problemas de casa e que tenha com quem conversar, vai poder dar atenção e se dedicar exclusivamente ao cuidado do seu bebê e da sua recuperação do pós parto.

avós no puerpério

Avós no puerpério: o início de uma relação de amor e cumplicidade.

 

Avós no puerpério: conhecimento, carinho e respeito

As avós sabem como é duro se tornar mãe. Elas já passaram pelo puerpério, pela enxurrada de sentimentos, dúvidas e pensamentos de que não seriam capazes, então podem ser as melhores aliadas para ajudar nesse momento.

Seja a sua mãe ou a sua sogra, o importante é que você se sinta bem com a presença dela e que ela respeite as suas decisões, que ajude sem fazer críticas, nem comparações e também sem impor o seu jeito de fazer as coisas. E que lembrem, que apesar de agora ser mãe, você ainda é filha e precisa de carinho.

É importante que a mãe possa se sentir apoiada para confiar em si mesma e descobrir o seu próprio jeito de ser mãe. As avós possuem muita experiência e podem compartilhar as suas vivências, como se sentiram, como faziam para resolver determinado problema. Podem também dar um apoio emocional e especialmente, colo, procurando sempre saber que tipo de ajuda a mãe precisa. Você não precisa seguir a risca todos os conselhos das avós no puerpério, mas é sempre interessante poder ouvir e ter com quem conversar. Com certeza elas terão muito o que ensinar.

Muitas vezes, a maior ajuda é ter uma companhia, saber que pode contar com alguém quando as coisas estiverem muito difíceis. Os primeiros dias com o bebê em casa podem ser exaustivos e as vezes é necessário dar uma pausa, tomar um banho longo, dormir durante algumas horinhas, comer com calma, e as avós podem entrar nesse momento, cuidando do bebê para que a mãe possa respirar.

Além disso, cuidar das questões práticas da casa, como limpar a casa, fazer comida, ficar com os filhos mais velhos e receber as visitas que chegam, pode ajudar muito e faz com que a mãe fique livre para se preocupar somente com o bebê.

avós no puerpério

Avós no puerpério: apoio deve vir sem julgamentos ou imposições.

E quando as avós não estão presentes?

As vezes, por diversos motivos, não é possível ter a presença das avós no puerpério e nesse caso é importante buscar alternativas. Pedir ajuda para algum familiar que seja mais próximo, como tias, irmãs, ou mesmo para as amigas. Escolha pessoas com quem você tenha intimidade, que vão saber te ouvir e você poderá pedir as coisas que necessita, sem se sentir constrangida ou com medo de incomodar.

Existe também a possibilidade de procurar ajuda profissional e participar de grupos, que estão se tornando cada vez mais comuns hoje em dia, justamente por criarem um espaço de escuta, de apoio e acolhimento. Existem grupos para gestantes, grupos de pós-parto e outros com temas mais estabelecidos. O importante é você estar se sentindo amparada e não achar que precisa dar conta de tudo sozinha. Para cuidar de outro, precisamos primeiro cuidar de nós mesmas!

avós no puerpério

Avós no puerpério: contar com uma rede de apoio é muito importante para a nova família.

 

 

Bruna Osorio – Psicóloga Clínica

CRP: 06/118617

Facebook: Bruna Osorio Psicologia

 

 

 

Não quer perder nenhuma de nossas dicas??
Siga todas as nossas redes sociais

FacebookInstagram (@ficargravida) e Pinterest.

 

 

 

Leia mais textos de Comportamento:

A importância das brincadeiras na infância

Os diferentes aspectos da Maternidade

Escolinha ou casa da avó: como fazer a melhor escolha?

Dificuldade de engravidar do ponto de vista emocional

Medo de não amar o segundo filho

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Ficar Grávida é um blog com conteúdo voltado para mulheres que estão grávidas, já são mamães e também para as que querem engravidar. Aqui, nós conversamos sobre gravidez, filhos, saúde, comportamento, decoração, histórias inspiradoras e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@ficargravida.com.br

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.