HomeComportamentoMãe viraliza na web com depoimento sobre sanidade materna
mãe posta texto sanidade materna

Mãe viraliza na web com depoimento sobre sanidade materna

A maternidade é um grande desafio! E, de uns tempos para cá, a utopia de que a maternidade é uma experiência perfeita, as fotos em redes sociais de momentos maravilhosos e sem perrengues, os relatos de que a gravidez, o parto e o dia a dia com o bebê são magníficos e plenos estão deixando algumas mães cada vez mais pressionadas e, até mesmo, tristes por não viverem esse momento de uma forma tão mágica e perfeita.

mãe posta texto sanidade materna

Imagem usada no post do desabafo

Cansada de tanta hipocrisia e inconformada com esse mundo maluco, a blogueira Danyelle Santos, mãe de Caio, 13 anos, e de Artur, 3 anos, fez um desabafo em seu facebook sobre essa cobrança excessiva que as próprias mães se impõe de uma experiência perfeita na criação dos filhos.

O relato de Danyelle bombou e várias mães se identificaram com o ‘textão’. Por enquanto, o post já tem quase 7 mil curtidas e mais de 3 mil compartilhamentos.

 

Intitulado “Sanidade Materna”, confira alguns trechos do desabafo dessa mãe:

“Ando preocupada com a sanidade materna. Eu entro nos grupos e, num primeiro minuto, já consigo perceber o tanto de mãe exausta à beira da loucura. Exaustão por passar o dia catando brinquedos o dia todo”.

“Não pode tapete de EVA nem adesivo na parede. Tudo muito colorido. Atrapalha a concentração. Tem que amamentar pra sempre. Até a criança não querer mais e você se sentir péssima, cansada, enjoada, mas disfarçar através de compartilhamento de posts sobre “como amamentar pra sempre faz bem”. E tem que abraçar na hora da birra. Você não pode ter seus sentimentos. Tudo é voltado pra criança. Só ela importa. Você, não. Se usar chupeta ou mamadeira, você é um monstro sem coração que OPTOU por prejudicar a dentição e a respiração do próprio filho. Momento drama: e vai ter que lidar com o trauma do “deschupetamento”. TV? Nunca! Nunca, nunquinha. Invente mil brincadeiras, cozinhe tudo natural, amamente pra sempre, TV desligada, sem chupeta, ambiente organizado e preparado pra criança, não se descontrole, mantenha a calma, dê autonomia pra tudo. E limpe tudo sozinha depois. E fique exausta. E odeie a maternidade. E finja que nada disso tá acontecendo. E poste muitas fofuras no Facebook pra esconder a mãe infeliz que está por trás daquela criança feliz”.

“Eu não quero métodos que me aprisionam. Educar para a paz e para a liberdade não é seguir uma bíblia com sim’s e não’s. Ter paz e liberdade é fazer o que é possível pra não enlouquecer pra que seus filhos tenham, de fato, uma mãe feliz”.

“A solidão, a culpa e a busca pela perfeição invadem as casas de tal forma que mulheres-mães estão adoecendo por conta dessa cobrança, por causa de métodos inflexíveis e teorias inalcançáveis”.

“Eu faço o que posso fazer. Amamentei até 2 anos e eu decidi desmamar. Conduzi o desmame respeitando o meu filho, dando amor e, sobretudo, respeitando os meus limites. Cozinho muito, todo dia, toda hora. Mas, às sextas, canso. Peço pizza. Sim, eu tenho direito de jogar tudo pro alto depois de uma semana cansativa. E você também tem. Tem muita brincadeira, mas também teve TV depois de 2 anos porque eu preciso limpar a casa, fazer comida, tomar um café sossegada. Meus filhos sempre tiveram autonomia em casa. Eles sabem que a casa é deles e tudo aqui é nosso. Dormem em beliche. E tudo bem”.

“Prefiro a minha maternidade possível à maternidade idealizada e triste. Meus filhos são importantes, mas eu também sou. Preciso estar saudável pra cuidar deles. Prefiro a honestidade de não seguir nenhum método à risca ao adoecimento causado por “regras” impossíveis”.

“Mulher, você é maravilhosa. Permita-se não enlouquecer. Permita-se não cair em depressão. Permita-se ser feliz e aproveitar a maternidade enquanto seus filhos estão pequenos. O tempo voa. Quando você menos esperar, eles estarão grandes e não vão mais querer segurar sua mão pra atravessar a rua. Ao invés de catar brinquedo o dia todo, beije seus filhos e refresque sua cabeça tomando um café quentinho olhando pro céu. Ao invés de morrer de culpa, viva a maternidade como você pode, dentro das suas possibilidades. Você não deve explicação a ninguém. Ao invés de seguir qualquer método ou teoria à risca, saiba que tudo precisa ser flexível pra que a gente não perca o pouco de sanidade que nos resta. A vida já é tão cheia de obstáculos…”

E, você? Concorda com o desabafo dessa mãe? Não deixe de conferir a postagem na íntegra aqui.

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Ficar Grávida é um blog com conteúdo voltado para mulheres que estão grávidas, já são mamães e também para as que querem engravidar. Aqui, nós conversamos sobre gravidez, filhos, saúde, comportamento, decoração, histórias inspiradoras e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@ficargravida.com.br

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.