HomeComportamentoPerturbação na amamentação traz sofrimento e angústia
perturbação na amamentação

Perturbação na amamentação traz sofrimento e angústia

Você já ouviu falar em perturbação na amamentação? Esse é um assunto pouco falado e pouco conhecido, mas que atinge algumas mulheres no período da amamentação e tem como principal característica sintomas e sensações muito fortes, viscerais, que chegam a fugir do controle.

As mães apresentam um sentimento muito ruim em relação a amamentar e um desconforto completamente insuportável na hora que o bebê quer mamar e principalmente durante a sucção.

perturbação na amamentação

Perturbação na amamentação pode acontecer com qualquer lactante

A perturbação na amamentação pode acontecer com qualquer lactante, mas geralmente atinge mulheres grávidas que continuam amamentando, mães que amamentam em tandem (duas ou mais crianças no mesmo período), ou que estão amamentando por mais de dois ou três anos. É uma reação primitiva, caracterizada por uma sensibilidade exacerbada durante a sucção do bebê, deixando a mãe irritada e desconfortável.

A sua intensidade varia, ela pode ser leve, aparecendo como um simples desconforto e a diminuição do prazer em amamentar, mas muitas vezes a mãe consegue continuar, ou mesmo partir com calma para um desmame gentil.

Mas também pode ser fortíssima, quando a sucção do bebê se torna extremamente insuportável. A mulher pode sentir vontade de chorar, de afastar o bebê do peito de forma brusca, uma urgência em interromper a amamentação, agitação, raiva do bebê, agonia, vontade de gritar, de apertar ou morder algum objeto ou até mesmo partes do seu corpo, como as mãos, para suportar o desconforto causado pela amamentação.

Normalmente todos esses sentimentos desaparecem quando a amamentação é interrompida.

Por que estou me sentindo assim?

Infelizmente ainda não existe uma explicação e uma causa que esclareçam porque a perturbação na amamentação acontece. Então é muito comum que as mães fiquem confusas com esses sentimentos conflitantes e se sintam envergonhadas e culpadas, achando que tem algum problema com elas, que são péssimas mães e que não amam os seus filhos.

Porém, é extremamente importante deixar claro que a perturbação é um problema inconsciente, uma agitação interna, realmente incontrolável e não tem nada a ver com o vínculo estabelecido ou com o amor que a mãe sente pelo bebê. E, tendo isso em mente, fica mais fácil conseguir jogar a culpa fora e tentar lidar com a situação.

perturbação na amamentação

Quais estratégias posso utilizar para lidar com a perturbação?

Algumas vezes a perturbação surge em um momento em que o bebê já tem idade suficiente e já existe um desejo da dupla em começar o desmame. Porém, algumas vezes ela acontece quando o bebê é muito novo e ainda não é o momento certo para o desmame.

Se existe o desejo de continuar com a amamentação, você pode encontrar alguns recursos para lidar esse fenômeno, como estratégias internas para amenizar esses sentimentos. Conversar com pessoas que já passaram por essa situação ou com um profissional pode ajudar muito, pois ao falar conseguimos entender o que estamos sentindo e separar aquilo que é nosso, aquilo que tem a ver com o bebê, aquilo que é físico e tem a ver com o ato de amamentar, podendo assim lidar com cada emoção individualmente.

É importante contar com a sua rede de apoio para que você possa separar um tempo para se cuidar, para ficar um pouco sozinha, passear, tomar um banho longo, encontrar as amigas. Tente diminuir um pouco o tempo da mamada, provavelmente o bebê vai querer mamar mais vezes, mas a intensidade dos sentimentos vai durar menos.

perturbação na amamentação

Descanse, coma bem, faça algum exercício que te traga prazer. Tente encontrar o gatilho, pois dependendo da situação a perturbação pode aparecer com mais intensidade em alguns casos, como dias de maior cansaço, alguma situação estressante, amamentar em algum horário específico do dia… Estabeleça os seus limites. Por exemplo, se o bebê mama mexendo no outro peito e isso te da agonia, brinque com a mãozinha dele, faça carinho.

Converse bastante com o seu bebê, inclusive se no meio da mamada a sensação estiver muito insuportável, explique para ele, conte que não tem nada a ver com ele, mas que você precisa de um tempo e logo vocês podem tentar de novo. Se o bebê for muito pequeno ou estiver com fome, pode ser que ele chore, mas ao conversar com ele, você também está conversando com você mesma, se acalmando, e às vezes essa parada, ou a mudança de seio, já ajuda a diminuir um pouco a sensação.

 

Bruna Osorio – Psicóloga Clínica

CRP: 06/118617

Facebook: Bruna Osorio Psicologia

 

 

Não quer perder nenhuma de nossas dicas??
Siga todas as nossas redes sociais

FacebookInstagram (@ficargravida) e Pinterest.

 

 

Leia mais textos de comportamento:

Você sabe o que é violência obstétrica?

Os diferentes aspectos da Maternidade

Medo de perder o bebê é sentimento natural

Dicas para superar as dificuldades na amamentação

Está com medo do parto? Psicóloga dá dicas de como superar

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Ficar Grávida é um blog com conteúdo voltado para mulheres que estão grávidas, já são mamães e também para as que querem engravidar. Aqui, nós conversamos sobre gravidez, filhos, saúde, comportamento, decoração, histórias inspiradoras e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@ficargravida.com.br

Sem comentários

Deixe um comentário