HomeBebêsTer filhos é um sonho, mas o meu marido não quer. E agora?
shutterstock_436103920

Ter filhos é um sonho, mas o meu marido não quer. E agora?

Decidir ter filhos envolve muitas escolhas, renúncias e planejamentos. É uma decisão que precisa ser tomada em conjunto pelo casal, com muita consciência, mas as vezes podem existir desejos e sonhos que são conflitantes.

Quando somente uma das partes quer ter filhos existe um problema. Essa é uma situação extremamente delicada, difícil de ser encarada e também de ser resolvida.

Planos e sonhos precisam ser discutidos para ter filhos

O primeiro ponto a ser considerado é a importância da conversa. Quando começamos um relacionamento, a princípio não sabemos quais são os sonhos da outra pessoa. Mas conforme o relacionamento avança, e planos como o casamento começam a ser feitos, é indispensável que se converse sobre ter ou não filhos.

ter filhos

Se você tem vontade de ter filhos, mas o parceiro que você está se relacionando tem a convicção de que não quer e já deixa isso claro durante o namoro, é interessante que você possa repensar essa relação. Colocar o seu desejo da maternidade e a sua vontade de estar com esse parceiro na balança.

Pode ser um erro crer que com o tempo ele mudará de ideia. Lógico que isso pode acontecer. O homem pode ser muito novo, pode nunca ter pensado nisso, ou nunca ter tido vontade por não conhecer a mulher certa, mas pode também nunca mudar de opinião. E construir uma relação que dependa dessa mudança pode ser perigoso e trazer muito sofrimento para a mulher.

Quais são os motivos que levaram a essa escolha?

Muitas vezes, porém, essa conversa antes do casamento não acontece. Em outras, ao casar, a mulher também ainda não tem vontade de ser mãe e desenvolve essa vontade com o tempo. E ainda em outras situações teve a conversa, existia o desejo, mas ao longo dos anos ele desaparece.

Nesse caso, temos um conflito muito grande. O desejo de ser mãe e a falta do desejo de se tornar pai. É muito duro e frustrante aceitar, porque para tudo acontecer de maneira satisfatória é preciso que o desejo de ter filhos seja uma realidade para os dois.

Alguns homens não se sentem prontos para serem pais, são muito novos, imaturos, ou querem aproveitar a vida de casal, viajar, investir nas suas carreiras. Podem também ter passado por vivências traumáticas na infância, ter medo das obrigações, não ter experiência com crianças, não ter a paternidade como um objetivo. Se preocupam em não conseguirem desempenhar o papel, acreditam que sua vida mudaria para pior, consideram que não tem uma estabilidade financeira para assumir essa responsabilidade.

Podem ser inúmeros os motivos que fazem com que o homem escolha não ser pai. Em alguns deles é possível encontrar soluções, dialogar, compartilhar os medos e angústias, procurar formas de se sentir mais seguro, procurar ajuda profissional para lidar com essas questões ou fazer uma reserva financeira.

Então antes de tomar qualquer decisão, é importante entender quais são os motivos e se é possível ou não tentar encontrar uma solução. Entretanto, encontrar uma solução não é a mesma coisa que se apegar a ilusão de mudar os sentimentos, os desejos e os sonhos do outro.

Autoestima no pós-parto

Como tomar a melhor decisão para lidar com esse conflito

Nenhum dos dois pode impor a sua vontade, por exemplo, como é o caso de mulheres que provocam uma gravidez sem o marido saber. Essa situação pode gerar muito conflito, uma sensação de traição, e quem mais vai sofrer é a criança.

Se o marido abrir mão do seu desejo somente para fazer a mulher feliz, isso poderá trazer sofrimento, brigas, arrependimentos, frustrações, podendo levar a um desgaste da relação. Da mesma maneira, se a mulher abrir mão do seu desejo, também poderá sofrer muito, se arrepender, se frustrar, culpar o marido, gerando insatisfação e novamente desgastando a relação com muitas brigas e discussões.

Porém abrir mão do sonho de ter filhos também pode ser uma escolha e pode abrir caminhos para que novos planos e desejos se construam. Essa deve ser uma decisão tomada com muita consciência, muito bem ponderada, pensada e conversada para evitar culpas e arrependimentos.

Infelizmente, muitos casais por não encontrarem um caminho que seja bom para os dois, acabam optando pela separação. Assim, cada um fica livre para correr atrás dos seus sonhos.

 

Bruna Osorio – Psicóloga Clínica

CRP: 06/118617

Facebook: Bruna Osorio Psicologia

 

Não quer perder nenhuma de nossas dicas??
Siga todas as nossas redes sociais

FacebookInstagram (@ficargravida) e Pinterest.

Leia mais:

Parar de trabalhar após o nascimento do bebê: Uma difícil decisão

Exterogestação: A importância de respeitar essa fase

Disciplina positiva: Educando sem violência física ou verbal

Criação com Apego: Como aplicar a teoria?

 

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Ficar Grávida é um blog com conteúdo voltado para mulheres que estão grávidas, já são mamães e também para as que querem engravidar. Aqui, nós conversamos sobre gravidez, filhos, saúde, comportamento, decoração, histórias inspiradoras e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@ficargravida.com.br

Sem comentários

Deixe um comentário