HomeGravidezExamesBella Falconi revela problema na segunda gravidez
Bella Falconi

Bella Falconi revela problema na segunda gravidez

Conhecida pelo estilo de vida saudável e símbolo de beleza no mundo fitness, a digital influencer Bella Falconi pegou seus seguidores de surpresa essa semana revelando um problema de saúde na sua segunda gestação.

Bella Falconi

Bella Falconi está grávida da segunda filha. Ela já é mãe de Vicky, de 2 anos.

Exames clínicos apontam curva glicêmica alta em Bella Falconi

Mãe de Vicky, de 2 anos de idade, Bella se deparou com uma alteração preocupante nos exames clínicos na 28ª semana de gestação. Ela espera uma menina, Stella. “Constatei que minha curva glicêmica para diabetes gestacional está alta. Justo eu? Tão saudável? Sim. Todas nós, gestantes, corremos alguns riscos, principalmente porque durante a gestação os hormônios que são produzidos pela placenta acabam atrapalhando a secreção de insulina pelo pâncreas, aumentando a chance de diabetes durante esse período”, comentou Bella.

Bella Falconi

Bella Falconi é famosa por compartilhar seu estilo de vida saudável nas redes sociais.

Bons hábitos de alimentação não eliminam a necessidade de exames

Bella demorou para descobrir o problema, pois não conseguiu realizar os exames antes, em função da rotina corrida. Mas o resultado mostrou que, mesmo seguindo uma alimentação saudável, as gestantes devem cumprir rigorosamente o pré-natal.

“Agora estou ainda mais atenta na alimentação, consumindo apenas carboidratos de baixo IG (índice glicêmico) e absolutamente nada de doces, nem nos finais de semana. Atividades físicas também são importantes e pretendo voltar a minha rotina em mais uma ou duas semanas quando chegar nos EUA, onde temos uma academia em casa”, afirmou a brasileira, no post que publicou nas redes sociais comentando o assunto.

Hoje resolvi dividir com vocês um pouco do que estou vivendo e lembrá-los que absolutamente ninguém está isento de riscos, embora eles possam ser sempre diminuídos. Minha falta de rotina está tão intensa que esperei até o limite (28 semanas) para fazer meus exames e só agora constatei que minha curva glicêmica para diabetes gestacional está alta. Justo eu? Tão saudável? Sim. Todas nós gestantes corremos alguns riscos, principalmente porque durante a gestação os hormônios que são produzidos pela placenta acabam atrapalhando a secreção de insulina pelo pâncreas, aumentando a chance de diabetes durante esse período. Mulheres que têm histórico familiar (como eu), estão ainda em maior risco. E nenhuma gravidez é igual a outra. Eu não fui diagnosticada com diabetes gestacional, mas estou limítrofe. Isso demonstra que não importa quão saudáveis sejamos, sempre há riscos, tamanha a nossa vulnerabilidade! Agora estou ainda mais atenta na alimentação, consumindo apenas carboidratos de baixo IG e absolutamente nada de doces, nem no FDS. Atividades físicas também são importantes e pretendo voltar a minha rotina em mais uma ou duas semanas quando chegar nos EUA, onde temos uma academia em casa. Ainda tenho alguns poucos compromissos aqui no Brasil antes de ir embora, mas já está chegando ao fim a rotina pesada de trabalho e viagens. Cuidem-se, pois realmente somos muito “frágeis” nesse mundo e tudo pode mudar num piscar de olhos. Eu não me culpo, pois sei que qualquer mãe pode passar por isso, mas agora sei que está em minhas mãos controlar para que meu quadro não se desenvolva para diabetes gestacional e tudo fique bem até o dia da Stellinha chegar. Não deixem de fazer exames periódicos, consultar seu médico e cuidar da alimentação e treino. A vida é uma só! 😊 . . . Look: @liveoficial #teamlive

A post shared by Bella Falconi (@bellafalconi) on

Diabetes gestacional

O diabetes gestacional é uma condição caracterizada pela hiperglicemia (aumento dos níveis de glicose no sangue) durante a gravidez. Geralmente se cura logo após o parto, mas as mulheres que apresentaram diabetes gestacional tem o fator de risco aumentado para o desenvolvimento de diabetes tipo 2.

Além disso, o diabetes gestacional pode causar parto prematuro e pré-eclâmpsia. O bebê também pode nascer com peso excessivo e apresentar hipoglicemia após o nascimento, entre outras complicações.

Bella Falconi

Qualquer mulher pode desenvolver diabetes gestacional, mas existem alguns fatores de risco que favorecem a condição:

– Idade superior a 25 anos
– Histórico familiar de diabetes
– Diabetes gestacional anterior
– Bebês de gestações anteriores que nasceram com mais de 4 kg
– Gestações anteriores com bebê natimorto inexplicável
– Tolerância à glicose diminuída ou glicemia de jejum alterada (níveis de açúcar no sangue altos, mas não o suficiente para ser diabetes)
– Aumento do líquido amniótico
– Excesso de peso antes da gravidez
– Ganho excessivo de peso na gravidez
– Raças negra, hispânica, indígena ou asiática.

Os sintomas do diabetes gestacional são raros, por isso é preciso fazer exames periódicos durante toda a gravidez. Mas quando aparecem, os sintomas costumam ser: aumento da sede, aumento da vontade de urinar, sensação de fome constante e visão turva. Como são sintomas normais durante a gestação, a mulher deve conversar com o obstetra.

Bella Falconi

 

Não quer perder nenhuma de nossas dicas??
Siga todas as nossas redes sociais

FacebookInstagram (@ficargravida) e Pinterest.

 

 

Leia mais

Conheça os exames de pré-natal

Problemas na placenta: 5 condições que trazem risco

Polidrâmnio: entenda o líquido amniótico aumentado

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Ficar Grávida é um blog com conteúdo voltado para mulheres que estão grávidas, já são mamães e também para as que querem engravidar. Aqui, nós conversamos sobre gravidez, filhos, saúde, comportamento, decoração, histórias inspiradoras e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@ficargravida.com.br

Sem comentários

Deixe um comentário