HomeGravidezUso do celular na gravidez pode estar associado a hiperatividade
uso do celular

Uso do celular na gravidez pode estar associado a hiperatividade

Durante a gravidez os cuidados dobram, e a futura mamãe ganha milhares de novas recomendações para garantir uma gestação saudável e tranquila. Estudos recentes realizados pelo Instituto de Saúde Global de Barcelona (ISGlobal) incluíram o uso do celular à essas recomendações, indicando que a radiação emitida pelo aparelho pode estar associada ao risco de hiperatividade e falta de atenção em crianças. Vamos entender melhor a pesquisa?

uso do celular

 

Entenda como o uso do celular pode causar hiperatividade

O estudo do ISGlobal, que faz parte do projeto europeu Geronimo, analisou o comportamento de 83.884 mães grávidas e seus filhos – com idade entre 5 e 7 anos – de diversos países, como Espanha, Dinamarca, Coreia do Sul Holanda e Noruega.

Considerado o maior estudo sobre condutas de mães e filhos, chegou à conclusão de que as grávidas que utilizam o celular com uma frequência de média a alta têm mais chances de ter uma criança com problemas de conduta, principalmente hiperatividade, falta de atenção e dificuldades emocionais.

 

O estudo em números

 

Das mães:

39% que não usaram o celular, na maioria dinamarquesas, foram recrutadas anteriormente, no período compreendido entre os anos de 1996 a 2002, quando o celular ainda não era tão popular.

29% utilizaram pouco, 27% tiveram um uso médio e 5,7% foram classificadas como usuárias de alta frequência.

 

Dos meninos:

6,6% apresentaram dificuldades gerais de conduta

8,3% tiveram hiperatividade e falta de atenção

12% mostraram problemas emocionais

 

A pesquisadora da ISGlobal e primeira autora do estudo, Laura Birks, ressaltou que os resultados mostraram “uma evidência consistente do risco de problemas de hiperatividade e falta de atenção pelo uso médio e alto do celular por parte das mulheres durante a gravidez”.

Já Martine Vrijheid, coordenadora do estudo e pesquisadora de ISGlobal, destacou que em futuras pesquisas sobre o uso do celular e suas consequências na gravidez também será preciso estudar “de que maneira a exposição às radiofrequências dos celulares afeta o feto”.

Porém, especialistas afirmam que é preciso ter cautela com a interpretação das informações divulgadas. O pediatra da Universidade da Califórnia, Robin Hansen, questiona, em entrevista ao portal britânico “Daily Mail” se “o problema são os sinais emitidos pelo celular ou como o aparelho muda as interações dos pais com o filho depois do nascimento?”. Lembrando também que a atenção despendida ao aparelho tira a atenção das crianças, que apenas a conseguem quando choram. E ressalta que este comportamento faz com que o pequeno se sinta ignorado, e, consequentemente, acabam se tornando excessivamente ativos.

 

 

Não quer perder nenhuma de nossas dicas??
Siga todas as nossas redes sociais

FacebookInstagram (@ficargravida) e Pinterest.

 

 

Leia mais

– Excesso de ácido fólico e autismo, estudo explica relação

– ALERTA: Paracetamol na gravidez aumenta autismo e hiperatividade

– Fumar na gravidez pode prejudicar a visão do bebê

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Ficar Grávida é um blog com conteúdo voltado para mulheres que estão grávidas, já são mamães e também para as que querem engravidar. Aqui, nós conversamos sobre gravidez, filhos, saúde, comportamento, decoração, histórias inspiradoras e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@ficargravida.com.br

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.