HomeGravidezA Zika e os riscos na gravidez
zika

A Zika e os riscos na gravidez

Zika é uma doença transmitida principalmente pela picada do mosquito Aedes, que incluem o Aedes aegypti e o Aedes albopictus, causadores da Dengue e da Chikungunya. Os sintomas também são bem parecidos, com febre, dores nas costas e nas articulações, manchas pelo corpo, coceira e conjuntivite. Como a doença é capaz de atingir a placenta, o líquido amniótico e até o bebê, ela é extremamente perigosa para gestantes. Nossa matéria de hoje vai falar tudo sobre a Zika na gravidez.

zika

 

Conheça a Zika e entenda os riscos na gestação

 

Transmissão

A Zika também pode ser transmitida pelo sexo – pela presença do vírus no sêmen ou em outras secreções genitais -, além da picada do mosquito – que pica uma pessoa infectada e apenas carrega o vírus para outras. Como ainda não se sabe quanto tempo demora para o vírus deixar o corpo após o fim dos sintomas, recomenda-se que a gestante evite o contato com fluídos sexuais, fazendo somente sexo seguro, com preservativo.

 

Sintomas

O principal sintoma da Zika são as manchas no corpo, podendo vir seguidas de intensa coceira. Além também da febre baixa, as dores de cabeça, musculares e nas articulações já com edemas, conjuntivite e aparecimento de gânglios.

 

Tratamento

A Zika não tem um tratamento específico e pode ser cuidada em casa, a recomendação principal, além do alívio dos sintomas, é hidratação constante e muito repouso. Assim como a dengue, o uso de medicamentos com ácido acetilsalicílico, aspirina, são proibidos. Apenas em casos extremos o médico pode receitar analgésicos e formas de melhorar a coceira. Pasta d’água e banho com maisena ou aveia são muito comuns para o alívio da coceira.

 

Diagnóstico

Exames de sangue ou urina são necessários para descobrir se você está infectado com Zika ou qualquer outra doença, como Dengue, Chikungunya, citomegalovírus ou até rubéola, caso não seja vacinada.

Vale lembrar que a febre alta é rara na Zika, enquanto a repentina é bem comum nas outras doenças transmitidas pelo Aedes, na Citomegalovírus ela costuma ser mais prolongada, durando duas semanas ou mais. A possibilidade de ter Zika e Dengue ou Chikungunya ao mesmo tempo não é descartada.

O ideal é que se procure o médico o quanto antes, de preferência ainda com os sintomas, para o diagnóstico correto.

 

Prevenção

zikaA principal forma de prevenção é combatendo os focos do mosquito, como água limpa e parada. Sabe-se que o vírus da Zika se propaga muito mais rápido que o da dengue, sendo necessário que as gestantes intensifiquem o cuidado.

Evitar poças e acúmulo de água limpa em casa e no quintal é essencial para evitar a reprodução do mosquito.

Roupas claras e compridas, como calças e camisetas de manga longa, são ideais.

Usar preservativos em todas as relações sexuais e evitar qualquer contato com fluidos genitais.

Evite o contato com pessoas infectadas e mantenha uma boa higiene pessoal, como lavar as mãos, e não compartilhar copos e talheres.

O uso de repelentes aprovados pela Anvisa que sejam a base de DEET, icaridina e EBAAP ou IR3535, também são recomendados. Reaplicando a cada seis horas. Não esqueça de passar na roupa, intensificando a proteção. Inseticida elétrico e spray para a casa também são excelentes para manter os mosquitos afastados.

Coloque telas nas janelas e ar condicionado, uma barreira física também será de grande ajuda.

 

A Zika e o bebê ainda no útero

Ainda não se sabe qual o período da gestação é mais perigoso de ser infectada, porém, vale lembrar que os três primeiros meses costumam ser críticos, pois é a fase em que os órgãos ainda estão se constituindo. Mas, consequências podem acontecer em qualquer época.

Os problemas causados no bebê pelo vírus da Zika estão sendo chamados de síndrome congênita da Zika. Dentre eles, estão a microcefalia, alterações cerebrais como calcificações e ventriculomegalia, possíveis alterações no sistema musculoesquelético, nos olhos e na audição. Além da suspeita de riscos à gravidez em si.

Ao sinal de manchas avermelhadas e coceira, recomenda-se que a gestante procure atendimento médico imediato. Uma vez confirmada a doença, a gestação será acompanhada mais de perto pelos especialistas.

Vale salientar que não são 100% das crianças que nascem com problemas. Porém, os bebê nascidos sem microcefalia terão acompanhamento especial nos primeiros anos de vida, com o objetivo de analisar outros problemas não tão aparentes.

 

Imunização

Acredita-se que o vírus da Zika crie anticorpos para que a pessoa, uma vez infectada, não venha a sofrer novamente com a doença, ou seja, fique imunizada. Porém, ainda não existe exames de sorologia específicos para detectar se a pessoa já teve contato com o vírus anteriormente ou não, como a toxoplasmose.

Como ainda não existe vacina para a doença, o ideal é se proteger da melhor forma possível e evitar o contágio. 

 

 

Não quer perder nenhuma de nossas dicas??
Siga todas as nossas redes sociais

FacebookInstagram (@ficargravida) e Pinterest.

 

 

Leia mais

– Pressão alta na gravidez, um perigo a ser acompanhado de perto!

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Ficar Grávida é um blog com conteúdo voltado para mulheres que estão grávidas, já são mamães e também para as que querem engravidar. Aqui, nós conversamos sobre gravidez, filhos, saúde, comportamento, decoração, histórias inspiradoras e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@ficargravida.com.br

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.