HomeTentantesExames e TratamentosEsclareça as dúvidas sobre os miomas
miomas

Esclareça as dúvidas sobre os miomas

Os miomas uterinos atingem cerca de 70% das mulheres em idade fértil pelo menos uma vez durante sua vida reprodutiva. Apesar de ser um diagnóstico recorrente nos consultórios de ginecologia, os miomas ainda despertam muitas dúvidas, principalmente nas mulheres que estão tentando engravidar.

Por definição, são tumores benignos, formados do tecido muscular que forma o útero. Também são conhecidos como fibromas ou leiomiomas uterinos. São comuns e, normalmente, não provocam sintomas. Quando aparecem, podem ser sangramentos, cólicas ou dificuldade para engravidar.

Os miomas podem ser encontrados em qualquer lugar do útero, de tamanhos variados. É possível encontrar tumores microscópicos, medianos, que não crescem ou que crescem consideravelmente, resultando inclusive na retirada do útero. Na matéria de hoje, vamos falar sobre os tipos de miomas, suas causas, sintomas, tratamentos e como ele pode prejudicar a fertilidade.

 

Miomas: um guia completo

 

Tipos de miomas

Os miomas são classificados de acordo com a sua localização:

  • Subserosos: alojam-se na parte mais externa do útero e geralmente crescem para fora. É um tipo de mioma que não costuma provocar alterações no fluxo menstrual, mas pode crescer e causar pressão sobre outros órgãos.
  • Pediculados: desenvolve-se na superfície externa do útero e se mantém ligado a ele por uma haste móvel, uma ponte fibromuscular. São normalmente assintomáticos.miomas
  • Intramurais: localizam-se no interior da parede uterina e se expandem, fazendo com que o útero aumente seu tamanho. São os tipos mais comuns e geralmente aumentam o fluxo menstrual. Podem provocar dor e sensação de peso na pelve.
  • Submucosos: ficam na parte mais profunda do útero, na cavidade endometrial. Mais raros, provocam intensos períodos menstruais.
  • Intracavitários: localizam-se totalmente dentro da cavidade uterina. Eles podem causar sangramentos foram do período menstrual e cólicas.

 

Causas

As causas do aparecimento dos miomas ainda são desconhecidas. Sabe-se que os hormônios femininos – progesterona e estrogênio – influenciam seu desenvolvimento. Isso porque os miomas costumam aparecer somente em mulheres adultas, em idade fértil e tendem a encolher – e até a desaparecer – na menopausa.

Durante a gravidez, quando há uma alta na produção hormonal, eles também aumentam. Além disso, costumam ser recorrentes em mulheres que passam por terapia de reposição hormonal.

Mas ainda é inexplicável porque sua incidência é consideravelmente maior em mulheres negras, que costumam apresentar miomas em maior tamanho e quantidade, em relação às de outras etnias.

Alguns especialistas descrevem a idade, histórico familiar, origem étnica e obesidade como os fatores de risco para o desenvolvimento de miomas.

 

Sintomas

A maioria das mulheres acabam descobrindo que têm um ou mais miomas no útero apenas durante os exames ginecológicos de rotina. É raro que eles apresentem sintomas, mas quando dão sinais físicos eles costumam ser:

mioma

 

Diagnóstico

Os miomas são diagnosticados pela ultrassonografia transvaginal. Ela revela a quantidade de miomas, a localização e o tamanho de cada um. Exames complementares podem ser solicitados pelo ginecologista, para a confirmação do diagnóstico. Por isso é muito importante realizar consultas de rotina, pelo menos uma vez ao ano.

 

Tratamento

O tratamento depende do tipo, localização e tamanho do mioma. É habitual que quando são discretos e não apresentam sintomas, o médico recomende apenas um acompanhamento via ultrassonografia, para verificar se há desenvolvimento no tamanho ou se mudam de posição no útero.

Já os miomas que crescem e causam desconfortos físicos podem exigir uso de medicação, pílulas anticoncepcionais, intervenções não-cirúrgicas e cirurgia. Os casos mais graves costumam resultar na histerectomia, procedimento de retirada total do útero.

miomas

 

Gravidez

Uma das possíveis consequências do mioma é a diminuição da fertilidade da mulher, já que pode causar deformidade na cavidade uterina, prejudicando o implante do óvulo fecundado e causar um aborto. Mas isso depende de vários fatores, como o histórico ginecológico da mulher, se ela vem tentando engravidar há algum tempo, se já teve outras gestações e, principalmente, o tipo e localização dos miomas.

É importante não se assustar com o diagnóstico, caso você esteja tentando engravidar. Somente o ginecologista pode interpretar corretamente os resultados dos seus exames e recomendar a melhor abordagem. Os casos em que os miomas realmente resultam em infertilidade são exceções. É mais comum encontrar mulheres que conseguiram engravidar com miomas no útero, ou que tiveram sucesso em sua retirada, e a gravidez seguiu sem maiores problemas.

 

 

Não quer perder nenhuma de nossas dicas??
Siga todas as nossas redes sociais

Facebook, Instagram (@ficargravida) e Pinterest.

 

 

Leia mais

Reserva ovariana: o que é e como afeta a fertilidade

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Ficar Grávida é um blog com conteúdo voltado para mulheres que estão grávidas, já são mamães e também para as que querem engravidar. Aqui, nós conversamos sobre gravidez, filhos, saúde, comportamento, decoração, histórias inspiradoras e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@ficargravida.com.br

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.